CATEGORIAS

Slider

Geninho levou o título brasileiro com o Atlético-PR em 2001 | Crédito: Jader da Rocha
Nenhum técnico rodou mais no Campeonato Brasileiro que Geninho. É dele o título de treinador com mais times no currículo na história do torneio.

Ao todo, Geninho, que comanda atualmente o Ceará, na série B, passou por 17 equipes diferentes, uma a mais que Leão e Valdyr Espinoza, os vice-líderes desse ranking particular.

De todas essas tentativas, apenas uma efetivamente logrou resultado. Em 2001, Geninho foi campeão brasileiro com o Atlético-PR, até hoje a única conquista do gênero para o Furacão.

O site da revista Placar, autor original deste port, fez uma lista com os dez técnicos que mais treinaram times no Brasileirão desde 1971. 

Confira:

-
(Foto: Montagem - Adriano Motta)
Ronaldo de Assis Moreira. Ou, simplesmente, Ronaldinho Gaúcho. Um dos maiores jogadores já lançados pelo futebol brasileiro. Rei na Espanha. Entre 2003 e 2008 viveu o auge da sua carreira e construiu, no Barcelona, uma história de invejar qualquer jogador que almeja ser grande algum dia.

Hoje, chega ao Fluminense após de boas temporadas pelo Atlético-MG, e atuações abaixo do esperado no Querétaro, do México. Pensando no marketing, uma contratação excepcional. Assim como fez com o time mexicano, Ronaldinho deve trazer reconhecimento internacional inimaginável ao Fluminense. Lucros em cima da sua imagem devem ser incontáveis, principalmente após o Clube contratar a agência África, para cuidar da 'marca' do Gaúcho.

Já no campo, a dúvida é inevitável. Enderson, desde que chegou ao tricolor, prioriza o jogo de compactação eficaz sem a bola, e objetividade com a posse da mesma. Tal estratégia, talvez, seja um dos principais fatores para a sequência de 11 jogos do treinador com 7 vitórias, 3 empates, e uma derrota - o Fluminense perdeu duas vezes no campeonato, mas, na primeira ocasião, o comando da equipe estava com Ricardo Drubscky.

Com Vinícius, o Flu tinha a qualidade de passe no centro do campo, além da boa marcação exercida pelo meia, proporcionando uma maior liberdade para Fred mais a frente. Já com Marcos Júnior, atacante cria de Xerém, também escalado no centro do campo, viabilizou o jogo de profundidade e de intensa movimentação, que ora ou outra encostava em Fred variando naturalmente o 4-2-3-1 para o 4-4-2.

Um jogador "isento" de marcação chega a ser viável para uma equipe competitiva. Como exemplo, pode-se utilizar o Grêmio de Roger Machado, que tem filosofia semelhante a de Enderson utilizando compactação e mobilidade de suas peças.

Grêmio reduzindo o espaço de campo do adversário enquanto Douglas fica livre no meio. (Foto: Reprodução / ESPN - André Rocha)
Mas quando se tem dois jogadores que não conseguem dedicar-se a marcação, o resto do time, obviamente, tende a ficar sobrecarregado. A proposta do 4-2-3-1 deve ser mantida com Ronaldinho no time. Os dois pontas - provavelmente Osvaldo e Gerson, afundam para acompanhar os laterais, enquanto Ronaldinho e Fred se aproximam, formando quase que o 4-4-1-1. O Sport utiliza dessa variação com Diego Souza e André.

Entretanto, o que preocupa é a faixa central do campo. O futebol moderno exige a participação intensa e direta dos volantes. A cultura de volante cão de guarda e meia armador a cada dia vai entrando no esquecimento. Portanto, um minimo espaço proporcionado ao volante adversário pode tornar-se fatal contra o sistema defensivo.

Porque mesmo que Fred se esforce para recompor na marcação, é notório que as características do jogador não o permitem executar tal função com qualidade. Ronaldinho, por ter perdido a característica de intensidade e velocidade com o passar dos anos, também não consegue recompor.

Com Fred e Ronaldinho "livres" da obrigação de marcar, o campo de ação dos volantes adversário aumenta.
Se sem a bola o 'fator Ronaldinho' preocupa, com ela a tendência é de êxito. O fraco nível do futebol brasileiro e suas equipes podem proporcionar grandes momentos ao jogador. Se motivado, deve executar o que fez no Atlético-MG campeão da Libertadores. Lançamentos para Jô, extremos de velocidade, e a qualidade de passe e conclusão do camisa 10, que, na maioria das vezes, estava próximo à área. Decidiu vários jogos para o Galo Mineiro dessa forma.

Nada muito diferente do que pode encontrar no sistema ofensivo tricolor com Fred, Gerson e Osvaldo.
O 4-2-3-1 do Fluminense com Ronaldinho.
De toda forma, a chegada de Ronaldinho desafia Enderson Moreira a um quebra-cabeça tático. Sua entrada vai desequilibrar o sistema defensivo. Mudar de alguma forma a postura será necessário. Assim como motivar o jogador será de suma importância.

Com 35 anos, a nova contratação do Fluminense volta ao Rio de Janeiro podendo ser ou não, junto a Fred, mais uma referência no elenco tricolor, principalmente para os garotos. Se vai ser uma referência boa, só o tempo dirá.
- -
Foto: Reprodução / Nitro Circus
Anote bem esse nome: Jed Mildon. Esse maluco, piloto de BMX de 27 anos, mandou quádruplo backflip insano em sua bike, enquanto dava um rolê no complexo “Pastranaland”, de Travis Pastrana, em Maryland.

Até onde se tem registros, esse foi o primeiro quádruplo backflip já feito em uma BMX. O que sabemos é que muitos pilotos já tentaram, mas apenas Jed foi capaz de completar a manobra e cair em cima da bike na recepção.

Assista:


Sensacional!
- -
O inútil gol de Oscar contra a Alemanha em 2014 (Foto: Getty Images)
A zuera envolvendo o #Eterno7x1 não param. Dessa vez, alguém com uma puta criatividade editou o vídeo da partida história entre Brasil e Alemanha, válida pela semifinal da Copa do Mundo 2014, fazendo com que o goleiro Julio Cesar virasse "herói" da partida e Oscar fizesse o único gol do duelo, que colocaria a ridícula seleção de Luiz Felipe "Banana" Scolari na final do Mundial com vitória por 1 a 0.

Confira abaixo o sensacional vídeo que brinca com a maior vergonha da história do futebol brasileiro.

Assista:

7x1 foi é muito pouco!
- -
(Foto: Olaf Pignataro / Red Bull Content Pool)
Os ingleses Paul Bonhomme e Steve Jones realizaram uma façanha incrível na Pensilvânia, Estados Unidos. A bordo de uma aeronave modelo Xtreme Air XA41, de 7,5 m de envergadura, eles se tornaram os primeiros pilotos do mundo a cruzarem um prédio voando em formação. Tudo isso em uma altura a 1m do chão e com a velocidade máxima chegando a 300km/h.

Parece impossível imagina duas aeronaves passando dentro de um galpão nessa velocidade, não é? Mas, isso não foi feito por amadores. Os dois trabalham juntos há 17 anos e colecionam feitos incríveis ao longo desse tempo. Esse, porém, teve uma comemoração especial.

(Foto: Olaf Pignataro / Red Bull Content Pool)
- Um detalhe que saísse errado, nós bateríamos no hangar, então depois que saí e vi que o Steve ainda estava ali, me deu um grande alívio. Mas foi realmente muito divertido e ao mesmo tempo bizarro voar com meu amigo atravessando um prédio - comentou Bonhomme.

O hangar, com base em Llanbedr Airfield, na Pensilvânia, foi escolhido há mais de seis meses e, devido ao risco, foi necessária uma permissão especial da Autoridade de Aviação Civil, que estava no local para supervisioná-los. Por sorte - e pura competência dos pilotos, deu tudo certo, originando um vídeo sensacional que você confere clicando aqui.
- -
Foto: MLB.com

Evelyn Jones protagonizou um feito histórico no último sábado, antes da partida entre Seattle Mariners e Los Angeles Angels. Aos 108 anos, ela tornou-se a pessoa mais velha a arremessar uma bola na MLB. Em comemoração ao seu aniversário, a torcedora dos Mariners jogou a bola para Felix Hernandez, ganhou um abraço e uma salva de palmas.

A data ainda comemorou outra marca centenária. Afinal, há 101 anos, a lenda Babe Ruth fazia o seu primeiro arremesso.

Depois do belo episódio, Evelyn ainda mostrou bom humor ao responder a pergunta sobre o segredo para uma vida longa: "Continue tendo aniversários."


Assista:

Vi la no blog Olha Isso...
-