Select Menu

Slider

Foto: Reprodução / Youtube
Se você entrou nas redes sociais nos últimos dias deve ter visto um bando de vídeos com pessoas jogando água e gelo em si mesmos, não é? Embora pareçam uma simples brincadeira, esses vídeos tem um valor muito maior, fazendo parte de uma campanha mundial no combate da Esclerose Lateral Amiotrófica.

A ELA é uma doença neurodegenerativa progressiva e fatal, que afeta as células dos sistema nervoso e da medula e acarreta em uma paralisia motora irreversível. (1)

O objetivo da campanha Ice bucket challenge é simples: arrecadar doações para alavancar as pesquisas no tratamento da ELA (ALS, em inglês) e para instituições de combate a doença. Campanha essa que chegou a patamares gigantes graças ao ex-jogador de beisebol, Pete Frates.

Pete e a convivência com a ELA

Pete Frates é um ex-jogador de beisebol e portador da doença. Ele jogava pelo Lexington Blue Sox e liderava o time em home runs na League Baseball Intercity. Sua carreira seguia normalmente, até que ele sentiu algo diferente. 

Ele começou a sentir que algo estava errado com o seu corpo. A dor de uma bolada no pulso durante uma partida não passava. Em março de 2012, ele foi diagnosticado com Esclerose Lateral Amiotrófica. Por conta disso, hoje ele não consegue mais andar e se comunica com a ajuda de aparelhos.

Como começou a campanha

Pete Frates foi quem ajudou na divulgação da campanha, mas não foi o criador. A campanha começou por acaso quando o jogador de golfe Chris Kennedy desafiou a prima Jeanette Senerchia, cujo marido teve ELA por 11 anos, a tomar um banho de balde cheio de água com gelo em troca de uma doação. 

O vídeo postado no dia 15 de julho de 2014 em uma rede social chegou até Pete Frates. Ele e outro portador da doença, Pat Quinn, se juntaram e lançaram um desafio: convencer um amigo a doar 100 dólares (cerca de R$ 220) para qualquer instituição de combate a doença ou postar um vídeo nas redes sociais virando um balde de água com gelo sobre a cabeça. A maioria das pessoas fez os dois.

Ganhando proporções mundiais

A campanha ganhou proporções mundiais quando chegou no mundo das celebridades, tendo inicio no esporte. Jogadores da NFL aderiram ao movimento, passando para astros do basquete e do futebol. Mesmo não fazendo doações, o simples fato de postar um vídeo tomando banho de água gelada já ajudou a campanha, uma vez que gera curiosidade em saber qual o sentido do vídeo. Até agora já foram arrecadados mais de 22 milhões de reais.

Ice bucket challenge chegou ao Brasil e, como acontece com a maioria das coisas por aqui, foi rapidamente banalizada. Brasileiros resolveram transformar algo sério em uma brincadeira, apostando pizza e cerveja com os amigos. Cada um faz o que quer, mas se você ver um post desses em sua linha do tempo saiba que por trás o vídeo tem um valor realmente verdadeiro.

Como doar?

Aqui no Brasil, a Associação Pró-Cura da ELA precisa de MUITA ajuda. Entrem nos sites brasileiros: http://procuradaela.org.br/ e http://www.abrela.org.br para saber um pouco mais.

Para fazer doações:

ASSOCIACAO PRO-CURA DA ELA
Banco: 237 - Banco Bradesco - 60746948
Agencia: 2962
Conta Corrente: 2988-2
- -
Dawson Batts, garoto que joga beisebol mesmo que seja com apenas um braço
Dawson Batts é mais um dos tantos garotos de 12 anos que amam beisebol nos Estados Unidos. Joga no time de seu colégio em Fayetteville, Carolina do Norte, e sonha em defender a universidade North Carolina State e até ser draftado pelo Boston Red Sox. E nem o fato de ter nascido sem o braço esquerdo o faz mudar de ideia. Ainda bem.

O garoto joga beisebol desde os 3 anos, e aprendeu a lidar com sua deficiência. Ele aprendeu a arremessar e rebater com o braço direito, e ainda desenvolveu uma técnica para rapidamente colocar a luva e fazer jogadas defensivas quando necessário. Compreensivelmente, acabou se tornando o grande destaque do All-Star Challenge do National Youth Baseball Championship.

Ele defendeu a equipe do Leste e cedeu três corridas, mas sua equipe ficou com a vitória por 8 a 4. Batts também foi para o bastão, e conseguiu um walk na única oportunidade que teve.

Ainda é cedo para dizer se o garoto de 12 anos se manterá como atleta competitivo a ponto de realizar seu sonho. Mas já tem um precursor. Jim Abbott nasceu sem a mão direita e conseguiu se adaptar para se tornar um jogador profissional de beisebol. E foi um bom jogador.

Abbott foi arremessador no time da Universidade de Michigan e conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 1988 (o beisebol foi esporte de demonstração). Nesse mesmo ano, foi draftado na primeira rodada pelo California Angels.

A passagem na MLB começou bem, mas depois entrou em altos e baixos. Em 1989, foi quinto colocado na eleição de estreante do ano. Em 1991, foi terceiro na eleição de Cy Young. Em 1993, já com a camisa do New York Yankees, ainda conseguiu um no-hitter contra o Cleveland Indians. No entanto, teve ERA abaixo de 4 em apenas um de seus últimos seis anos na liga.

Peguei la do Extratime!

 Para ver o garoto em ação, clique aqui e assista ao vídeo.
- -
Foto: Reprodução / Youtube
O jovem piloto Kevin Ward Jr., morreu após ser atropelado pelo carro do tricampeão da Nascar, Tony Stewart, durante uma corrida da Empire Super Sprints, uma categoria regional que corre em pequenos circuitos ovais de terra nos Estados Unidos. 

Ward estava disputando uma posição na corrida com um adversário quando foram dividir a curva 2 do oval de meia milha. Eles se tocaram e o carro do jovem acabou acertando o muro, furando um dos pneus. A direção de prova mostrou a bandeira amarela. 

Irritado, Ward saiu do carro e foi para o meio da pista esperar a passagem do carro do rival para reclamar. Ward usava um macacão preto e, como a corrida era de noite, não foi visto por Tony Stewart e acabou sendo atropelado no meio da pista.

Veja como foi o acidente no vídeo abaixo.

Assista:
- -
O pênalti perdido por Roberto Baggio em 94 foi lembrado pelo artista
O artista Adly Syairi Ramly é um aficionado por LEGO que cria artes representando bandas, atletas e artistas com as populares pecinhas de encaixar. Adly foi convidado pela galera do Highsnobiety para criar uma seleção de lances que ele considerava os mais marcantes na história das copas do mundo e os representar.

Uma série muito bacana que brinca com momentos históricos, lances verdadeiramente clássicos e famosos do mundial foram escolhidos. Grandes nomes do futebol aparecem na lista, como Zidane, Nigel de Jong, Diego Maradona, Pelé e David Beckham. Tem até arte do mundial deste ano com o peixinho de Van Persie.

Confira:
O cartão vermelho de David Beckham na Copa de 1998
A tradicional comemoração de Pelé na Copa de 1970
O gol de cabeça de Robin van Persie protagonizado em 2014
A dancinha de Roger Milla no mundial de 1990
O golpe de "Kung Fu" de Nigel de Jong em 2010
A "Mão de Deus" de Maradona, no mundial de 1986
A inesquecível cabeçada de Zidane no mundial de 2006
O pênalti perdido de Roberto Baggio  no inesquecível mundial de 1994
Bacana, né? Tudo parece que fica mais legal quando feito de lego.
- -
Portugal recebeu a quinta etapa do Mundial (Foto: Red Bull Cliff Diving/Divulgação)
Uma das competições mais insanas e radicais realizadas pela Red Bull é a Red Bull Cliff Diving World, competição de salto de penhasco, direto no mar. A competição foi criada pela marca em 2009 e teve, pelo terceiro ano consecutivo, uma de suas etapas disputada na belíssima ilha de Açores, em Portugal.

Os saltos foram feitos a uma altura de aproximadamente 27 metros, caindo direto no mar. O americano Steven LoBue anotou 468,15 pontos e venceu a etapa de Portugal da competição. Líder da temporada e com três vitórias nas últimas três etapas, o britânico Gary Hunt foi apenas o 11º da etapa de Portugal, com 233,70 pontos.

O cenário português foi perfeito para a realização do evento. A combinação do céu azul, o mar e os sensacionais penhascos portugueses formaram essas incríveis imagens que você confere abaixo.

Se liga:

Alguém ai teria coragem?
- -
(Foto: Reprodução / Youtube)
Um time coreano de basebol achou a solução perfeita para estar sempre com o estádio lotado durante suas partidas. Como? Criando robôs-torcedores para apoiarem a equipe nos jogos.

O Hanwa Eagles, que disputa a liga KBO, foi que instalou os robôs na arquibancada do seu estádio. As máquinas são controladas por torcedores que não podem estar presentes nos jogos da equipe, ou seja, você pode comprar um ingresso para controlar um torcedor virtual caso não queira ir ao estádio.

Os robôs podem ser controlados via computador, tablet ou mesmo celular equipado com o aplicativo do time. Ainda por cima, imagens dos torcedores aparecem no rosto dos robôs, que vibram, cantam músicas da torcida e mostram mensagens enviadas pelo seu controlador.

O lançamento da novidade é visto como uma poderosa estratégia de marketing do Hanwa Eagles, que acumulou 400 derrotas nos últimos cinco anos, vivendo uma das maiores crises de sua história.

Confira no vídeo:

Já pensou se a moda pega?
- -
Noah e Lucas durante o ciclismo (Fotos: Reprodução / Facebook)
Uma cena incrivelmente emocionante ocorreu durante uma prova de triathlon infantil, em Idaho, nos Estados Unidos. Noah Aldrich, um garotinho de apenas 8 anos, completou a prova junto ao seu irmãozinho, Lucas, de 6 anos, que sofre de uma deficiência cerebral.

Noah não queria participar da competição sozinho e foi quando teve a ideia de realizar a prova ao lado do irmão.  O pequeno Lucas sofre de lisencefalia, um transtorno raro na formação do cérebro caracterizado pela microcefalia e uma ausência das circunvoluções normais do cérebro, que causa retardo mental e problemas psicomotores.

O garoto seguiu em frente rumo ao seu objetivo e ignorou qualquer limitação imposta a seu irmão. Tanto que, quando soube da competição, ele começou a se preparar durante três meses para carregar seu companheiro. Para participar da prova, a família teve que adaptar um carrinho, uma bicicleta e um bote para que Noah carregasse seu irmão.

Confira:


“Ele não anda, não fala, mas adora estar perto de pessoas”, disse Alissa, mãe dos guerreiros.

“Quando eles saíram da água, na última prova, Lucas tinha o maior sorriso que já vi”, contou Alissa. “Nosso objetivo com a coisa toda era apenas deixar os meninos se divertirem. A lição é que você pode viver a vida sem limites”.

Uma multidão aplaudiu de pé o momento em que Noah e Lucas cruzaram a linha de chegada. A emoção foi forte, tanto que o locutor do evento só soube dizer uma palavra: “extraordinário!”.
- - -
Foto: Reprodução/Youtube
Um gol incrível de calcanhar foi anotado por Márcio, pivô do Marechal Rondon, pela Liga Futsal. A partida foi disputada na Arena Jaraguá, contra o time da casa, pela 6ª rodada da Liga Futsal.

Ao receber na quadra de ataque de costas para o gol, ele bateu de calcanhar por cobertura quase do meio da quadra, estufando a rede adversária. Adiantado, o goleiro Baranha nada conseguiu fazer.

Confira no vídeo:

Mesmo com o golaço, o Jaraguá foi quem ficou com a vitória, 2 a 1.
- -